Pesquisar este blog

Cronica de uma jornada nas estrelas

Há uns dois meses o que pensei ser uma hérnia de disco tem conversado comigo em alta fidelidade. Pensei que fosse hérnia de LP, porque a dor não é de um compacto simples, mas descobri depois que uma vértebra belisca um nervo. Deitado ou de pé não sinto dor, o que me permite até trabalhar com o notebook sobre a cômoda. Mas por e tirar a cadeira de rodas de meu filho no porta-malas, ou me abaixar para cuidar dele é fazer curso de astronomia.

Mulheres de visão na "Casa de Papel"

Quando visitei "La Casa de Papel" brasileira, a "Casa da Moeda" no Rio, não fui lá com a intenção de roubar, como no seriado da Netflix, e nem máscara levei, apesar de meu sobrenome "Persona" vir de "uma palavra italiana derivada do Latim para um tipo de máscara feita para ressoar com a voz do ator ('per sonare' sigifica 'soar através de'), permitindo que fosse bem ouvida pelos espectadores, bem como para dar ao ator a aparência que o papel exigia. A palavra latina era derivada da palavra etrusca 'phersu', com o mesmo significado, e seu significado no último período Romano foi alterado para indicar um 'personagem' de uma performance teatral." (Obrigado Wikipedia!).
Moeda do Reino Unido comemorativa dos 400 anos de Shakespeare.

Mensagem a um formando

Meu filho,

Você acaba de decolar de seu pequeno planeta acadêmico para uma viagem através do imenso universo profissional. Da atmosfera previsível do ensino formal, você parte agora para uma odisseia de descobertas nas galáxias do aprendizado informal. Sua formatura foi a plataforma de lançamento, o ingresso em uma nova carreira, mais dinâmica, mais veloz. Seu diploma é apenas o zero de sua contagem regressiva. Se olhar pela escotilha, verá que há outros — muitos, gente demais! — viajando ao seu lado. É melhor acelerar.

New York, New York!

Quando o Frank Sinatra cantava uma ode a New York dizendo, "If I can make it there, I'll make it anywhere" ("Se eu puder fazer ali, farei em qualquer lugar"), ele não estava pensando em coisa errada, estava? Bem, esse é o lema da cidade para onde vão todos os que desejam vencer na vida lá e poder vencer na vida em qualquer lugar. A maioria fica no "If I can make it there" porque o dinheiro acaba para fazer "everywhere".

Queimados pelos clientes descontentes

A enxaqueca do Oswaldo já estava de trincar os dentes. O enrugado da testa escorria sobre um par de olhos apoiados em olheiras que pediam sutiã. Sugeri uma visita à japonesa do restaurante natural. Ela entendia de acupuntura — pensava eu — e saberia espetar a dor. Meu amigo concordou com um gemido.

Vai ter reuniao com ela? #Me too.

Quando eu era adolescente minha irmã começou a namorar um estudante de engenharia que agora é seu marido. Na época as coisas eram muito diferentes de agora, e menina de respeito nunca saía sozinha num carro com o namorado. No Brasil não dava nem para imitar filme americano de namoradinhos sozinhos num cinema Drive-In. Aqui não existia cinema Drive-In e quase ninguém tinha carro. No máximo o garoto convidava a garota para ir ao cinema convencional ver o último lançamento no Brasil do filme lançado dez anos antes em Hollywood.

Se a minha geladeira falasse

As terminações nervosas da nova sociedade da informação estão se espalhando de maneira fantástica, causando algumas mudanças drásticas em nossos hábitos. Com o preço dos chips caindo e seu poder aumentando, a tendência é que cada objeto que nos cerca se transforme em mais um neurônio de uma imensa rede.

Independencia e Sorte - Mario Persona

Gosto de ensinar. É gratificante poder dar algo a alguém, principalmente conhecimento, que você não subtrai quando divide, mas soma e multiplica. Depois de ensinar marketing para universitários, hoje faço palestras para profissionais do piso ao teto das empresas. Mas já lecionei de tudo um pouco numa escola secundária que no meu tempo era chamado de "curso ginasial". Isso foi na virada dos anos setenta para os oitenta, quando fui professor voluntário, ao menos nos nove primeiros meses, que foi o que demorou para o Estado de Goiás começar a me pagar. Eram tempos remotos e eu vivia no mais interior dos interiores, muito além das Gerais dos Inconfidentes.

Lanche Sensação - Mario Persona

Escrevo esta crônica em meu notebook, numa mesinha da praça de alimentação de um shopping center. Do lado de fora de meu escritório improvisado, estou cercado por nomes como McDonald's, Donuts e outros menos conhecidos. Do lado de dentro, o pimentão da Pizza Hut que acabei de comer, começa a conquistar um espaço na memória que pretendia usar para escrever. Comi demais. É fácil identificar o que leva minha atenção a se concentrar em meu estômago. Mas é um pouco mais complicado explicar o que transformou em marcas famosas os nomes que me cercam.

Maravilha tecnologica

O voo é tranquilo e logo pousaremos em Chapecó. Tento imaginar se lá fora eu congelaria antes de inchar. É que poucos milímetros de alumínio me separaram de uma temperatura de 50 graus negativos, e a falta de pressão a onze mil metros de altura me faria inchar como um balão. Olho para minha barriga e chego a duvidar que seja possível ficar maior. Só sobrevivo naquele ambiente hostil, voando a 800 quilômetros por hora, por causa da tecnologia.

O livro que meu aluno escreveu - Mario Persona

"As três aulas que tivemos com você foram ótimas. Eu acho que para passar informação precisa ser informal, e é assim que a gente aprende muito nas suas aulas, nos seus livros e nos sites que você indicou..."

A princípio achei que esse elogio rasgado que chegou no primeiro e-mail que recebi de um aluno do curso de MBA em Gestão de Empresas de Tecnologia da Informação em 2002 tinha a intenção de agradar para garantir nota. Engano meu. Com o tempo e a correspondência, que continuou depois do fim do curso, percebi que era sincero e que eu podia aprender com aquele aluno.

Negocios preservados

O mestre de obras apareceu na porta do escritório, de chapéu apertado nas mãos e lábios preocupados no semblante. Nem sabia como contar para o arquiteto que alguém fazia uma casa dentro da casa que ele fazia. Uma corruíra, passarinho pequeno, marrom e alegre, resolvera se aninhar no buraco do andaime na parede de um dos quartos. O que fazer?

Postagens populares

VideoBar

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.